Bienal de Sydney anuncia sua primeira programação online

0

A Bienal de Sydney anunciou os detalhes iniciais de como vai transcorrer sua 22ª edição, intitulada NIRIN: online, através de uma série de ativações e experiências

Desde o dia 6 de abril, a programação online vinculada aos sete temas que inspiram a exposição será realizada diariamente, durante 10 semanas, no site e nas redes sociais da Bienal de Sydney. A Bienal de Sidney permanece liderada por artistas e o programa NIRIN WIR será um espaço para os artistas liderarem o caminho na resposta às questões sociais, políticas e ambientais urgentes que enfrentamos hoje.

View this post on Instagram

For nearly 50 years, the Biennale of Sydney has presented some of the most dynamic contemporary art from around the globe in iconic venues across Sydney. This year’s exhibition, titled NIRIN and meaning ‘edge’ in Wiradjuri, is an artist- and First Nations-led biennale showcasing more than 700 artworks by 101 artists and collectives. A global platform for diverse cultures and perspectives, the Biennale unites people across the world, stimulating dialogue and inspiring change. The COVID-19 pandemic and potential impact on the safety of our visitors, artists, staff and wider community remains our top priority. And so, in line with the latest advice from Government authorities, the Biennale of Sydney is closing its public exhibitions from Tuesday, 24 March 2020 until further notice. We will continue to adapt and innovate in the face of this global crisis. Our doors close across Sydney, and they will open online – for everyone, everywhere across the world. We remain steadfastly committed to the artists and communities we serve by moving to a digital program. Working with long-time Biennale partner Google – and in a first for the Biennale of Sydney – audiences around the world will be able to engage with NIRIN on the Google Arts & Culture platform. Creating a virtual Biennale will bring the exhibition and programs to life through live content, virtual walk-throughs, podcasts, interactive Q&As, curated tours and artist takeovers. At times like these, it is more important than ever that we find ways to connect, to help each other, listen, collaborate and heal – all core themes of NIRIN. The Biennale remains artist-led and will allow our artists to lead the way in responding to the urgent social, political, and environmental issues we are facing today. We are shifting to digital programs, sharing more in coming weeks. We look forward to welcoming you back to the physical exhibition when our Government authorities deem it safe to reopen. Until then, we encourage everyone to look after one another during this challenging time, and when you go looking for connections in isolation, engage online.

A post shared by Biennale of Sydney (@biennalesydney) on

Barbara Moore, Diretoria Executiva da Bienal de Sydney, disse: “A 22ª Bienal de Sydney, intitulada NIRIN, é uma plataforma global para diversas culturas e perspectivas, unindo pessoas em todo o mundo, estimulando o diálogo e inspirando mudanças. Agora, mais do que nunca, é importante encontrar maneiras de conectar-se, ajudar-se mutuamente, ouvir, colaborar e curar”

Confira os novos caminhos que cada seção desta edição irá percorrer:

    • BILA (Rio. Ambiente): toda semana começará com um foco em nosso próprio ambiente físico, bem como nos ambientes em mudança de nossas comunidades locais e globais, incluindo playlists e podcasts para definir o tom da semana.
    • GURRAY (Transformação): olhando para a transformação como uma ferramenta de mudança, a Bienal compartilhará novas experiências de espaços de exposições, obras de arte e processos por meio das vozes e perspectivas de artistas, curadores e educadores.
    • MURIGUWAL GIILAND (Histórias Diferentes): toda quarta-feira, a comunidade global de artistas da Bienal sediará interações em mídias sociais, watch parties e conteúdos inéditos no canal IGTV da Bienal.
    • NGAWAAL-GUYUNGAN (Idéias Poderosas: o Poder dos Objetos): a Bienal está criando espaços para artistas e audiência se conectar, colaborar e expressar idéias poderosas por meio de performances, leituras e conversas.
    • DHAAGUN (Terra: Soberania e Trabalhando Colaborativo): toda sexta-feira, o diretor artístico Brook Andrew se conectará à comunidade global de artistas e curadores do NIRIN para fornecer informações únicas sobre a exposição.
    • YIRAWY – DHURAY (‘Conexão com o inhame’: Comida): Como podemos nos reunir, isoladamente? Todo fim de semana, artistas e líderes comunitários compartilham suas receitas favoritas pessoais, incentivando o público a cozinhar em cozinhas de todo o mundo.
    • BAGARAY-BANG (Cura): manter-se conectado com amigos e familiares, perto e longe, através de uma série de atividades intergeracionais que incluem oficinas usando materiais reciclados, projetos fáceis de artesanato, leituras e muito mais. Toda terça-feira, professores, estudantes e famílias em todo o mundo poderão acessar uma variedade de materiais de aprendizagem sobre a NIRIN – desde estudos ambientais a histórias e culturas indígenas – até recursos interativos, podcasts, entrevistas com artistas, vídeos e tutoriais.

Mais detalhes sobre como o público pode experimentar as 700 obras de arte apresentadas na 22ª Bienal de Sydney por meio da plataforma Google Arts & Culture serão anunciados nas próximas semanas. Essa plataforma disponibilizará obras de arte dos seis parceiros da exposição online para que o público experimente novas maneiras atraentes, incluindo passeios em 360 graus, vídeos e conteúdo com curadoria.

Share.

Leave A Reply